Share |

Eurodeputado José Gusmão visitou o Algarve

O eurodeputado do Bloco de Esquerda (BE) José Gusmão, acompanhado de elementos do Bloco de Esquerda do Algarve, visitou no passado fim de semana o Algarve e em particular a Ria Formosa, tendo tomado conhecimento dos  atentados ambientais em pleno Parque Natural, nomeadamente as abusivas violações em duas áreas do Sotavento Algarvio (Cabanas de Tavira e Manta Rota), assim como a edificação de dezenas de apartamentos na Fuseta, concelho de Olhão. O eurodeputado pôde constatar  a dimensão das alegadas irregularidades nos referidos terrenos, tendo recolhido dados para uma eventual denúncia no Parlamento Europeu, sobre as infrações em áreas protegidas, como é o caso do Parque Natural da Ria Formosa.

Quer a situação da Manta Rota (Quinta da Manrarrota), quer a situação da Caiana, onde são eliminadas culturas de sequeiro (Alfarrobeiras, Figueiras, Amendoeiras) por culturas de regadio ( abacate e pomar de citrinos) com uma maior pressão agrícola sobre os terrenos em pleno Parque Natural, e com o consequente aumento do consumo de água para estes projetos, assim como a construção em plena Ria Formosa deixou verdadeiramente preocupado o eurodeputado José Gusmão, o qual prometeu tudo fazer para que se regulamente a sustentabilidade agrícola e a massificação construtiva em área protegida. 

O eurodeputado recolheu ainda informação sobre a preocupação dos mariscadores e pescadores das comunidades, quanto ao assoreamento da Ria e dos canais de navegação, em virtude de ser tremendamente dificil aceder aos portos com a maré vazia, dificultando o trabalho destes homens .

Outro aspecto também abordado foi a proliferação da alga Caulerpa prolifera que está em franca expansão na Ria, dificultando a sobrevivência de determinadas espécies, e em particular o cavalo marinho, sendo também um aspecto a relevar na apresentação que será feita no Parlamento Europeu.

O Bloco de Esquerda e o seu eurodeputado vêm desta forma demonstrar a sua convicção na defesa do ambiente e das populações do Algarve, através da necessária sustentabilidade ambiental e económica.