Share |

1 de Maio 2020: Simbolicamente, mas também na rua (com respeito pelas restrições sanitárias)

Faro, 30 de abril de 2020

Nota de imprensa

Assunto: 1º de Maio 2020: simbolicamente, mas também na rua (com respeito pelas restrições sanitárias).

Nas vésperas deste 1º de Maio, dia Internacional do Trabalhador, o Bloco de Esquerda do Algarve saúda todos os trabalhadores que na região sustentam a continuação da vida de todos nós. Desde os profissionais de saúde, que no Serviço Nacional de Saúde, agora desejado por toda a gente, fazem milagres para nos proteger do Covid-19, passando pelos trabalhadores do fornecimento de água, recolha do lixo, produção e abastecimento alimentar, até todos os outros dos serviços essenciais.

Esta pandemia veio mostrar, agora com ainda maior clareza, que são os trabalhadores, tantas vezes os mais modestos e mais ignorados, quem faz mover a economia e a sociedade em cada país. Se eles param, por motivos de saúde, como agora, ou na luta pelos seus direitos, tudo pára. E de pouco ou nada servem o grande patronato e os seus milhões: se os trabalhadores não entram em ação, toda a economia se desarticula e ameaça ruína e os senhores do Mercado, que antes insultam o Estado, correm, cínicos e aflitos, a pedir-lhe ajuda.

Por isso, o Bloco de Esquerda do Algarve saúda também as organizações dos trabalhadores, sindicatos e outros coletivos, tantas vezes desprezados e mal vistos, mas que hoje mostram a sua importância e necessidade para trazerem a primeiro plano todos os abusos patronais, leis e medidas erradas ou insuficientes. E que procuram defender os direitos, os rendimentos e os postos de trabalho dos trabalhadores e das suas famílias, contra a ganância do grande patronato e dos especuladores financeiros, que nem neste tempo olham a meios para engordarem à custa da desgraça alheia.

Saudamos em especial a CGTP e os seus sindicatos no Algarve, que respeitando as restrições sanitárias – porque levamos muito a sério a ameaça da Covid-19 - não querem deixar de celebrar na rua, para além dos meios das redes sociais, o 1º de Maio. Ainda que de forma simbólica, mas celebrá-lo na rua, que é, juntamente com a greve, seu último recurso de luta, o lugar privilegiado dos trabalhadores mostrarem a sua força e os seus direitos a toda a opinião pública e aos poderes políticos e económicos.

O Bloco de Esquerda do Algarve reafirma o seu empenho na defesa de todos os trabalhadores do Algarve, contra a pandemia dos despedimentos, do lay-off, dos cortes de salários e outros abusos patronais na região, certo de que é indispensável travar também esta pandemia, a qual não só destrói a vida das famílias trabalhadoras, como da própria economia que se reduz e desarticula com graves consequências para as micro e pequenas empresas.

O Secretariado da Comissão Coordenadora Distrital do BE do Algarve
 

AnexoTamanho
1_de_maio_2020.doc32 KB