jornadas autarquicas

Janeiro 29, 2013 01:32 AM
Março 19, 2012 01:00 AM

No próximo sábado, dia 24 de Março, o Bloco de Esquerda promove um encontro com autarcas e militantes no Centro Autárquico de Quarteira, para debater a aplicação da lei da reforma administrativa nos Concelhos do Algarve.

Janeiro 20, 2012 01:00 AM

No próximo dia 28 de Janeiro, sábado, pelas 14h30, no Convento de São José em Lagoa, os bloquistas Algarvios discutem a reforma da administração local proposta pelo governo no “livro verde”.

Maio 12, 2009 12:00 AM

O Bloco de Esquerda, realizou no passado Sábado, 9 de Maio, no auditório da Biblioteca Municipal de Faro o III Encontro Autárquico do Algarve.

Fazer o balanço da actividade desenvolvida pelos seus 14 eleitos, em Assembleias Municipais e de Freguesia na Região, e perspectivar a intervenção eleitoral em 2009 foram os objectivos do Encontro.

Maio 10, 2009 12:00 AM

No passado Sábado, realizou-se em Faro, o 3º Encontro Autárquico Regional do BE/Algarve. Na reunião estiveram presentes aderentes e simpatizantes de todos os núcleos e ainda de outras localidades. 

Opinião

Lamentável que tantos organizadores, apresentadores, comentadores, tudo tão inteligente, tão in e prá’frentex, tenham olimpicamente ignorado o colonialismo e os crimes israelitas, mesmo nas barbas dos assassinatos que, na fúria do momento, estão despudoradamente a cometer sobre as martirizadas populações aprisionadas na faixa de Gaza. O pacóvio deslumbramento de quem pensa que também é gente só porque, lá de longe em longe, os donos disto tudo lhe dão um ossinho a roer, para que eles possam continuar a abancar-se com o porco do dinheiro e do poder, também ajudou bem a esta cegueira indesculpável.

É necessário, investir mais na melhoria dos serviços públicos e na promoção de uma cultura politica virada para a cidadania.  Exigir a manutenção do sector da água no Estado. Criar condições para o envolvimento e auscultação das populações, técnicos e empresários no processo de revisão do PDM que se avizinha. Lutarmos, pela  descentralização administrativa de competências para as autarquias que não ponham em causa as obrigações sociais do Estado  e um tratamento igual para todos os cidadãos, independente do município onde vivam e pela criação de novos mecanismos para que as assembleias municipais sejam capazes de poder cumprir a sua função fiscalizadora da actividade municipal. E retomar o processo de discussão da reorganização das freguesias, consultando as populações, através do referendo local.