Share |

"Onde foram as dezenas de milhares de milhões de euros que fazem falta para a saúde, educação, habitação"

Exmo. Sr. Presidente da Assembleia Municipal,

Exma. Sra. Presidente da Câmara Municipal

Exmos. Srs. Vereadores,

Eleitos à Assembleia Municipal,

Convidados,

Cidadãos e Cidadãs,

 

Neste dia em que se comemora 43 anos sobre a instauração da democracia em Portugal, o Bloco de Esquerda saúda:

- Aqueles que nesse dia devolveram a liberdade ao povo Português.

- Todos aqueles que, apesar das enormes dificuldades, continuam a lutar pela concretização dos ideais enunciados nesse dia.

Á dois anos atrás falava na necessidade de mudança, hoje falo-vos na necessidade de continuar essa mudança.

Portugal está melhor mas ainda não está perfeito, ainda existe muita coisa para melhorar.

Senão vejamos:

- Intervenções no sector financeiro custaram €12,5 mil milhões entre 2010 e 2015 e ainda não acabou.

1,5 mil milhões desaparecam do BES com saída de Salgado;

1,1 milhões para salvar o BANIF e destruir famílias;

Mais de 4,9 mil milhões de euros para salvar o Novo Banco antigo BES;

1,6 mil milhões era quanto devião ao BPN o homen mais rico de portugal e a mulher mais rica de Angola;

Mais de 1 milhão de clientes oferecidos, pelo estado, à saúde privada;

961 milhões foi o lucros apresentado pela EDP em 2016.

Depois destes números ainda ouvimos quem diga que gastamos o dinheiro onde não devíamos. Pois sim, isso é capas de ser verdade, não devíamos gastar tanto em bancos e passar a gastar mais no bem estar das populações.

Se há pergunta que todos os dias devia iluminar o escuro das cidades num grande anuncio a néon á saber onde foram as dezenas de milhares de milhões de euros que fazem falta para a saúde, educação, habitação e tantas outras coisas importantes para um povo. Duas coisas eu sei, a banca portuguesa, privada, publica, semipública, foi gerida por gente particularmente incompetente. Deverá haver exceções mas esta tem de ser considerada a regra. De uma maneira geral andaram a emprestar dinheiro não se sabe bem com que critérios a não ser a imprudência. Outra é saber porque razão muitos dos que devem dinheiro á banca continuarem a ostentar grandes riquezas.

É verdade que um emanharado de leis, os offshores e os grandes escritórios de advogados representam uma muralha de aço para esses devedores pagarem. Mas o estado, que mostrou enorme imaginação e muitas vezes muito pouca vergonha, para ir ao bolso dos mais pobres, talvez possa fazer qualquer decreto de exepção para as dividas passadas, em vez de nos fazer pagar os abusos com os impostos do presente.

Temos que ser exigentes com tudo o que se passa á nossa volta e exigir que estas e outras coisas não se repitam em Portugal.

Portugal precisa de propostas para recuperar o sentido de serviço público na ação política. Propostas que formule um novo horizonte para Portugal: um país soberano, aberto ao mundo, exigente na sua democracia, profundamente solidário, respeitador do ambiente natural, preocupado com a qualidade de vida dos seus cidadãos.

O povo português não se dá por vencido e não baixará os braços enquanto não recuperar o controlo do seu destino e os responsáveis e donos disto tudo não devolverem o que foi tirado ao povo.

Por essa razão peço que no dia 1 de outubro cumpram o vosso direito cívico de escolher para que ninguém escolha por vós alguém eventualmente menos recomendável.

Portugal merece mais e melhor!... Lagos merece muito mais e muito melhor!...

Agora gostaria a de vos deixar com um excerto da letra de uma musica dos da weasel.

Vivemos na tuga, um país que até é bem tranquilo

Se me dessem a escolher não dava um vacilo

Não é perfeito nem nada que se pareça

Ainda depende de nós para que muito aconteça

O que acaba por ser porreiro porque te dá motivação

Não temos nada garantido na palma da mão

Há mesmo sítios onde a esperança quase já não existe

O que vale é que há sempre alguém que resiste

E insiste em fazer a diferença para melhor

Dá tudo por tudo com muito sangue e suor.

Viva Portugal!...

Viva o 25 de Abril!...