Share |

Bloco defende suspensão dos exames nacionais este ano

Bloco defende suspensão dos exames nacionais este ano
Catarina Martins defendeu que não existam exames este ano e propôs a contratação de mais professores, numa visita a uma escola em Faro, que realizou acompanhada pela deputada Cecília Honório - Foto de Luís Forra/Lusa

A coordenadora do Bloco de Esquerda salienta que os alunos sem professores já perderam um quinto do tempo útil de aulas, não havendo condições de igualdade nas escolas. Catarina Martins defende que não existam exames este ano e propõe a contratação de mais professores.

“Por uma décima se entra ou não na universidade, por meio valor se passa ou não de ano e estes alunos que estão sem professores já perderam um quinto do tempo útil de aulas e, portanto, não há condições de igualdade nas escolas hoje”, afirmou Catarina Martins aos jornalistas em Faro, à margem de uma visita à Escola Secundária Pinheiro e Rosa, que realizou acompanhada pela deputada Cecília Honório.

Catarina Martins apresentou duas propostas para enfrentar a situação provocada pelos graves erros do ministério de Nuno Crato.

Em primeiro lugar, “a contratação de mais professores para apoiar na sala de aula a compensação para que os alunos tenham acesso a todo o seu programa”.

Em segundo lugar, defende a suspensão dos exames nacionais, este ano, sublinhando que “não é possível realizar os exames nacionais em condições de igualdade e, portanto, exames nacionais este ano não podem existir”.

Sobre a avaliação dos estudantes, Catarina Martins defendeu a avaliação contínua, salientando que “os alunos sempre foram avaliados pelos seus professores”, que “há várias formas de avaliação” e realçando que “o que não podemos é colocar em condições de igualdade alunos que não estão em condições de igualdade”.

A agência Lusa, refere que de acordo com a Associação Nacional de Dirigentes Escolares, entre 10 a 20 por cento das vagas para professores continuam por preencher nas escolas abrangidas pela Bolsa de Contratação.

Artigo público no esquerda.net