Share |

BE Olhão quer jovens algarvios a debater questões LGBTQ+, propinas universitárias, e alterações climáticas

O núcleo de Olhão do Bloco de Esquerda realiza no próximo sábado, dia 14 de julho, um encontro de jovens e uma jornada de trabalho onde serão abordados temas dedicados às camadas mais jovens da militância partidária.

Com o sugestivo nome "Inquietação!" a iniciativa propõe-se ser um espaço que procura "discutir, chamar atenção e arranjar soluções para os problemas que afetam o povo do Algarve", e "onde todas as opiniões contam". Esta primeira edição irá abordar os direitos LGBTQ+ - "O que já foi feito e o que ainda falta fazer?" -, as propinas universitárias - "Propinas porquê? Para quê?" -; e as alterações climáticas - "A tragédia do nosso tempo?", tendo já confirmado a participação de representantes de vários coletivos, entre os quais a Associação Xis, Panteras Rosa, "Cancela a Propina", Climáximo, e PALP – Plataforma Algarve Livre de Petróleo.

Os organizadores garantem que a "juventude tem de liderar os «Caminhos para uma Alternativa Ecologista, Feminista e Socialista», pelo que a escolha dos temas vai ao encontro da "criação de um mundo digno para todos".

A iniciativa tem lugar no auditório da Praceta de Agadir, em Olhão, com início às 10h30, e é aberta a todos os interessados, emboraa sujeita a pré-inscrição online. Pode consultar o evento no facebook onde encontra o programa detalhado.

 

Sobre a iniciativa.

 

Inquietação - Caminhos para uma Alternativa Ecologista, Feminista e Socialista

Inquietação é um estado emocional de desconforto em relação aos problemas da sociedade. É perceber a existência e as causas destes mesmos problemas e aceitar que existe uma alternativa. É perceber que se cooperarmos conseguimos criar um mundo digno de se viver. Um mundo por Todos, para Todos.

Tendo isto em conta, qual é a importância da Inquietação?

Vivemos numa época onde as condições de vida das pessoas são menosprezadas, as paisagens são destruídas, a cultura social cai no esquecimento e a própria auto-determinação dos cidadãos não é reconhecida como legítima. Tudo em troca de grandes interesses económicos e da manutenção de um modelo de sociedade retrógrado, que não nos representa a todos.

Podemos ainda pensar “Será que alguma vez foi diferente?” e a resposta é não, mas é previsto que a juventude de hoje seja a primeira geração a ter uma qualidade de vida mais baixa do que a geração anterior, um presságio bastante preocupante. Historicamente, os jovens já estiveram na vanguarda de movimentos sociais, basta relembrar o tão importante Maio de 68, contudo, hoje em dia as suas opiniões são descartadas quando se fala de mudança.

É neste contexto social que entra a Inquietação, como pretexto para não baixarmos os braços e como um primeiro passo para reivindicamos alterações na sociedade. É necessário que a juventude de hoje utilize a sua Inquietação para exigir mais justiça, mais democracia e mais liberdade. É imperativo que a juventude lidere o “Caminho para uma Alternativa Ecologista, Feminista e Socialista”.