Share |

Assembleia Popular decide constituição de plataforma de apoio ao povo grego

Concentração de apoio ao povo grego, em Faro, mobiliza uma centena de pessoas. Foto de Margarida Janeiro.

Decorreu esta tarde, em Faro, no Jardim Manuel Bívar, uma concentração de solidariedade para com o povo grego, que reuniu mais de uma centena de pessoas.

Ao som de músicas gregas e portuguesas improvisou-se uma assembleia popular onde se analisou a actual situação europeia, a partir da questão da dívida dos seus países. 

Durante cerca de uma hora, os vários participantes fizeram ouvir o seu descontentamento perante o actual cenário de austeridade na União Europeia, bem como tecer algumas palavras de apoio ao novo governo grego, e ainda propor alternativas políticas, económicas e sociais de âmbito local, nacional, e ao nível da Europa, como um todo. 

Das propostas aprovadas destacam-se, no âmbito da solidariedade ao povo grego: o lançamento de um crowdfunding internacional, simbólico, de ajuda ao pagamento da sua dívida; redacção de uma carta ao parlamento europeu e ao parlamento português exigindo respeito e apoio às novas políticas gregas; uma moção de apoio à luta do povo grego, porque a sua luta é também a nossa luta, contra as medidas de austeridade que provocam miséria e não resolvem os actuais problemas socioeconómicos que enfrentamos. 

No âmbito nacional foram propostas: a formação de uma plataforma de solidariedade e "imitação" do povo grego; a organização de encontros que conduzam ao estabelecimento duma base de entendimento e acção entre forças políticas e movimentos sociais; a criação de uma rede que exija a demissão do actual governo, dada a falta de identificação com o povo que diz governar e, uma proposta mais concreta, de proibição da discriminação por género e idade nos anúncios e admissões em empregos.

No âmbito europeu propôs-se que o PIB per capita deixe de ser o indicador da riqueza e do desenvolvimento de um país, passando a análise a centrar-se noutro tipo de indicadores que melhor espelhem a felicidade e o bem-estar das suas populações; a anulação das dívidas de todos os países; a moção por uma Europa solidária e unida, respeitadora dos direitos dos seus cidadãos e não dos interesses do capital; a separação entre a banca comercial e a banca de investimento; a renúncia do dinheiro como moeda de transação e bem acumulável, procurando novas alternativas de troca e, por último, redacção de uma carta ao Parlamento Europeu exigindo que apoie as políticas gregas.

aqui as fotos da iniciativa.