Share |

Comunicado: Bloco de Esquerda lamenta e repudia o voto contra a isenção de portagens na Via do Infante por parte dos deputados do PS, PSD e CDS

O Secretariado da Comissão Coordenadora Distrital do BE saúda a luta da Comissão de Utentes da Via do Infante pela sua determinação na resistência contra a introdução de portagens na referida Via (A22).

A recolha de mais de 13 mil assinaturas, a mobilização para 7 marchas de protesto e outras tantas iniciativas reivindicativas, mais um Fórum que reuniu os principais líderes políticos e associativos do Algarve para debater a problemática da introdução de portagens fazem deste colectivo a vanguarda da defesa dos interesses da região.

Da actual análise da situação da introdução de portagens na Via do Infante, o Secretariado bloquista denuncia o secretismo com que o Governo mantém retido o Decreto-Lei aprovado em Conselho de Ministro de 13 de Outubro de 2011, o qual decreta a introdução de portagens na A22, e vê com alarmante preocupação o facto de saber que o Presidente da República solicitou informação adicional ao Governo para se pronunciar sobre o referido diploma.

O Secretariado considera ainda muito preocupante os efeitos que a opção de portajar esta via trará para a região algarvia, nomeadamente o agravar da crise e o aumento da sinistralidade rodoviária na E.N. 125. Neste sentido, exige a responsabilização de todos aqueles que decidiram portajar a principal via estruturante de ligação de populações, economia e cultura da Região.

O Projecto-Lei que determina a isenção de portagens na Via do Infante, apresentado pelo Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda, discutido no passado dia 28 de Outubro (em conjunto com a Petição apresentada pela Comissão de Utentes da Via do Infante) e votado no dia 4 de Novembro, poderá ter sido, nesta sessão legislativa, a última oportunidade para os deputados e deputados eleitas pelo círculo de Faro se pronunciarem sobre esta matéria. Neste contexto, o Secretariado do BE/Algarve lamenta e repudia veementemente o voto contrário dos parlamentares do PS, PSD e CDS, particularmente dos deputados eleitos pelo Algarve destas forças políticas. Mais uma vez, contrariando todas as declarações e promessas anteriores, estes deputados mostraram que estão contra o Algarve e os algarvios.

O Secretariado da Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda