Share |

Frota obsoleta prejudica utentes?

O Bloco de Esquerda quer saber quantos utentes dos Agrupamentos de Centros de Saúde no Algarve (ACeS) estão a necessitar, neste momento, de cuidados de saúde domiciliários e se os utentes algarvios estão a ser prejudicados pelo facto de a frota destes ACeS estar obsoleta, inviabilizando a prestação destes serviços.

O partido tem sido "constantemente confrontado com situações de insuficiência da frota destes ACeS, o que inviabiliza muitas vezes a prestação destes cuidados e exige uma despesa absurda com o recurso a táxis ou aluguer de veículos", esclarece João Vasconcelos, deputado eleito pelo BE, no círculo de Faro em pergunta dirigida ao Ministério da Saúde. "Os utentes do Serviço Nacional de Saúde do Algarve não podem estar a ser prejudicados por qualquer erro de gestão, por isso queremos também saber se a atual frota é realmente suficiente, quantos veículos adicionais são necessários e quais os valores gastos em 2014 e em 2015, no recurso a táxis e/ou aluguer de veículos para garantir a prestação de cuidados de saúde primários".

A pergunta foi endereçada aos três agrupamentos de centros de saúde na região do Algarve, respetivamente o Agrupamento de Centros de Saúde Algarve I – Central, Agrupamento de Centros de Saúde Algarve II - Barlavento e o Agrupamento de Centros de Saúde Algarve III - Sotavento.