Share |

BE Lagoa reúne com CPL

Terça-feira, dia 14 de abril, dirigentes locais e distritais do Bloco de Esquerda de Lagoa mais a direção do Centro Popular de Lagoa (CPL) realizaram uma reunião de trabalho para abordar, entre outros assuntos, a situação financeira preocupante em que se encontra esta IPSS sediada no concelho de Lagoa.

Os bloquistas foram esclarecidos sobre a situação financeira do Lar de Santa Isabel - lar de idosos com cuidados continuados - que têm atualmente cerca de 20 utentes e cujas despesas, dada a natureza dos serviços prestados por aquela unidade, é o principal motivo de preocupação para a direção.

Este foi o principal motivo da reunião que foi aproveitada para dar a conhecer o funcionamento de toda a estrutura do CPL e do funcionamento de cada uma das suas valências - cerca de uma dezena - entre as quais creche, pré-escolar, prolongamento de horário pre-escolar público, lar de idosos, centro de dia, apoio domiciliário, cantina social, etc., envolvendo, ao todo, cerca de 160 funcionários.

Foi claramente manifestado pela direção da IPSS a preocupação pela manutenção de todas as valências, atualmente em regular funcionamento, nos anos vindouros dado os subsídios atribuídos - maioritariamente vindos da Segurança Social - não chegarem para cobrir um terço das despesas.

Segundo a direção e como exemplo, o aumento das exigências impostas legalmente para o funcionamento de determinados espaços que obrigam a obras de alteração, não foram acompanhadas de apoios do estado para o efeito. As despesas de funcionamento - funcionários, equipamentos, água, luz, gás, etc. - todas sofreram aumentos consideráveis e, também aqui, não houve apoios, quer do estado quer das entidades públicas regionais e municipais.

A direção sublinha que a manutenção geral do espaço e eventuais despesas para reparações inesperadas é quase impossível de realizar, uma vez que o défice financeiro crónico não permite a existência de um fundo de maneio.

Embora o quadro negativo em que se encontra, é com expetativa que o CPL vê a assinatura de um protocolo plurianual com o município de Lagoa e, num âmbito mais genérico, apontam para a recuperação económica do país como um imperativo fundamental para, entre outros aspetos, permitir às famílias saldar dívidas com a instituição e repor as mensalidades dos serviços.

Os dirigentes do Bloco acompanham as expetativas da direção do CPL e manifestam a vontade de manter uma proximidade na observação e monitorização da rede de apoios sociais em funcionamento no concelho de Lagoa.

Para o Bloco e tomando conhecimento de mais uma situação de uma IPSS em dificuldade financeira, torna-se evidente que as opções políticas do governo de direita trouxeram dificuldades acrescidas às famílias, refletindo-se na menor capacidade ou, nalguns casos na impossibilidade completa, de recorrerem aos serviços disponibilizados por instituições de solidariedade social, como o Centro Popular de Lagoa.