Share |

BE denuncia: falta de médicos atrasa cirurgia

Um utente do Centro Hospitalar do Algarve (CHA) foi internado para cirurgia e reenviado para casa por falta de anestesista naquela unidade hospitalar. Os bloquistas manifestam a sua preocupação e interpelam o Ministério da Saúde.

Quantos anestesistas integram os quadros das unidades do Centro Hospitalar do Algarve? Quantos deviam exercer funções naquelas unidades? Que medidas têm sido desenvolvidas para colmatar a falta de anestesistas? são algumas das questões colocadas pelos deputados do Bloco de Esquerda, João Vasconcelos e Moisés Ferreira, ao Ministério da Saúde.

"Por um lado não é aceitável sujeitar-se um doente a esta situação tão ansiogénica e, por outro, é necessário saber por que motivo o doente foi admitido se não havia anestesista bem como (saber) porque não havia anestesista", garantem os deputados em pergunta dirigida ao Ministério.

O Bloco de Esquerda espera que o Hospital seja capaz de efetivar uma cirurgia programada e, segundo os deputados, "urge esclarecer o que aconteceu bem como conhecer quais as medidas que estão a ser implementadas para garantir que tais circunstâncias não voltam a repetir-se", concluem.