Share |

BE e pescadores do sotavento indignados

A comunidade piscatória reagiu indignada às manobras iniciais de instalação da Área de Produção Aquícola (APA) de Tavira. A Associação de Pescadores e Armadores daquele concelho, e a Associação de Pescadores de Monte Gordo, transmitiram as suas inquietações aos dirigentes distritais do Bloco de Esquerda do Algarve e ao deputado eleito, João Vasconcelos, em reunião mantida no passado dia 4.

Agora, o grupo parlamentar do BE, dirige várias questões ao recém empossado executivo. O partido político pretende saber se a actual equipa do Ministério do Mar está ao corrente do Despacho 4223/2014, publicado em Diário da República, a 21 de Março, que prevê precisamente a instalação e a exploração de estabelecimentos de culturas biogenéticas marinhas de moluscos bivalves naquela área de produção aquícola (APA)?

"O período de consulta pública do concurso desta empreitada foi demasiado curto, houve lugar a apenas uma sessão de esclarecimento, as autarquias não foram ouvidas neste processo, e estão reunidas inúmeras reivindicações do sector em relatório da Direcção Geral de Política do Mar, no entanto, o anterior Governo decidiu avançar com a sua concretização", contesta João Vasconcelos.

"A área em causa destina-se à comunidade piscatória em geral e aos pescadores do sotavento em particular (Tavira, Santa Luzia, Cabanas, Manta Rota, Altura, Monte Gordo, Vila Real de Santo António), e a instalação da APA de Tavira irá colocar em causa a sustentabilidade da pesca artesanal, local e costeira, originando uma catástrofe social e económica que coloca no desemprego centenas de pessoas e queremos saber se o Ministério do Mar pretende avançar com este projecto, reduzi-lo ou extingui-lo", esclarece o deputado.

Ler aqui a pergunta dirigida ao Ministério do Mar.