Share |

Critérios da Agência Lusa devem ser esclarecidos - BE questiona Governo sobre encerramento de delegação de Faro

Cecília Honório

As deputadas Cecília Honório, eleita pela região do Algarve, e Catarina Martins, da Comissão Parlamentar de Ética, Sociedade e Cultura, exigiram hoje ao Governo que esclareça quais os critérios para a decisão de encerramento da delegação de Faro da Agência Lusa, decisão que põe em causa postos de trabalho num país atacado pelo desemprego em geral, e pela precariedade do trabalho de jornalistas, em particular.

A 18 de Janeiro de 2010, o Presidente do Conselho de Administração da Agência Lusa anunciou a intenção de fechar, ao longo do presente ano, três das suas delegações fora de Lisboa. Há aproximadamente duas semanas, em sede de Comissão Parlamentar de Ética, Sociedade e Cultura, o Presidente daquela empresa justificou a eliminação das instalações físicas da Agência Lusa no território nacional por via do desenvolvimento dos meios tecnológicos. Porém, o mesmo critério já não se aplica às delegações no exterior, uma vez que estão previstas novas instalações no estrangeiro.

O Bloco de Esquerda considera que esta deliberação contraria as obrigações de serviço público expressas nos estatutos e missão da Agência Lusa, cuja responsabilidade no acompanhamento informativo do desenvolvimento regional e local se revela incompatível com o desinvestimento e abandono determinados para grande parte das regiões de Portugal Continental.

Detendo o Estado Português 50,14% do capital social da Lusa, é inequívoca a sua responsabilidade na fixação das orientações estratégicas e nos objectivos daquela empresa.

As deputadas do Bloco de Esquerda querem que o Ministro dos Assuntos Parlamentares e o Ministro das Finanças esclareçam se foram previamente informados pela administração da Lusa sobre a decisão de encerramento da delegação de Faro e se pode garantir o efectivo cobrimento noticioso da região do Algarve.

Cecília Honório e Catarina Martins pretendem ainda que o Governo garanta que nenhum trabalhador ou trabalhadora seja despedido e que seja esclarecido quantos/as jornalistas estão afectos para o distrito de Faro.