Share |

O Bloco defendeu na Comunidade Intermunicipal do Algarve solução urgente para o Museu da Cortiça

 

Na sua ultima reunião, a Assembleia da Comunidade Intermunicipal do Algarve aprovou uma moção sobre o Museu da Cortiça, apresentada pelo Bloco de Esquerda, apelando ao empenhamento na procura de uma solução que evite seja posto em causa o seu valioso património.

Dirigida a diversas entidades, Primeiro Ministro, Ministros da Cultura e da Economia, Secretaria de Estado do Turismo, Delegações Regionais dos Ministérios da Cultura e da Economia, CCDR Algarve e Câmara Municipal de Silves a moção, alerta para o encerramento que pode ocorrer a qualquer momento, devido às dificuldades financeiras que atravessa a sociedade proprietária do museu e do parque de lazer em que se insere. 

O texto aprovado por maioria, apenas com 11 abstenções da bancada do PSD, refere que:

 - com este encerramento há uma ameaça que pende sobre o seu valiosíssimo património, que não pode, em circunstância alguma, ser vendido a retalho ou alienado de uso público;

- é certamente o museu mais rico ao nível da indústria da cortiça, com um acervo notável em maquinaria, oficinas e arquivo documental. 

- é apontado por muitos como um dos melhores museus industriais da Europa – em 2001 foi distinguido pelo Fórum Museológico Europeu com o Prémio Micheletti para Melhor Museu Industrial da Europa, tendo recebido nesse ano mais de 100 mil visitantes;

- o Museu da Cortiça constitui um dos mais importantes pólos turísticos e culturais de Silves e do Algarve, faz dignamente jus à história da indústria corticeira Silvense e Algarvia; 

- a importância e o património deste museu estão naturalmente muito para além das fronteiras do concelho de Silves, dando-lhe um carácter supra-municipal. 

 A importância deste museu e o seu riquíssimo património exigem, por isso, a intervenção pública, mormente do Governo e dos competentes Serviços Regionais.