Share |

Cecília Honório questiona Governo sobre atraso da resposta da Caixa Geral de Depósitos à recuperação da Alicoop 1

 

O adiamento da resposta da Caixa Geral de Depósitos aos expectáveis compromissos financeiros para salvar a Alicoop levou hoje à suspensão de 380 contratos de trabalho, numa região assolada pelo desemprego.

No âmbito do processo de insolvência da Alicoop, iniciado em Agosto de 2009, foi elaborado um plano de recuperação, traçado para 16 anos, que prevê a injecção de 5,5 milhões de euros para o pagamento das dívidas aos fornecedores, bem como a modernização dos estabelecimentos, a aquisição de mercadoria e o relançamento da actividade. O estudo elaborado, a pedido dos credores, pela consultora internacional Delloite prevê que, no final do plano de recuperação económica da Alicoop, os capitais próprios da empresa podem ascender a 140 milhões de euros, plano que garante ainda um acréscimo dos postos de trabalho.

Para a concretização do plano, o aval da Caixa Geral de Depósitos de um empréstimo de 1,2 milhões de euros é determinante.

Se bem que o Bloco de Esquerda tenha informalmente conhecimento de eventuais de contactos entre o Governo e a Administração da CGD, de molde a activar um fundo especial, a verdade é que os atrasos consecutivos têm um único resultado: a morte lenta do grupo Alisuper/Alicoop, a suspensão de 380 postos de trabalho, o fecho das lojas, a impossibilidade de pagar as rendas e a perda das lojas, mesmo se alguma solução vier, ainda, a ser encontrada.

A deputada Cecília Honório, eleita pelo círculo de Faro, questionou hoje o Ministério da Economia, do Desenvolvimento e da Inovação sobre a viabilização do grupo Alisuper/Alicoop, nomeadamente que mecanismos pretende o Governo activar, e qual o seu prazo de aplicação, uma vez que a incapacidade de resposta atempada da instituição financeira com responsabilidades públicas conduziu à suspensão de 380 contratos de trabalho e à paralisação da actividade do Grupo. 

AnexoTamanho
p_alicoop_cgd_meid_190210.pdf405.91 KB