Share |

BE volta a denunciar: ressonâncias magnéticas em risco no Hospital de Faro

Ontem demos conta do reenvio de uma pergunta ao Governo, por este não responder a grande parte das perguntas endereçadas no prazo regimental de 30 dias.

Hoje o Bloco de Esquerda dá conhecimento que procedeu ao reenvio de mais uma pergunta, a n.º 818/XII/3ª, sobre a realização de ressonâncias magnéticas no Hospital de Faro que se encontra em risco.

Lembramos que o Bloco de Esquerda alertou, a 21 de janeiro, para o risco em que encontra o serviço de ressonância magnética no Hospital de Faro.

João Semedo e Cecília Honório questionaram na altura o Ministro da Saúde sobre o regular funcionamento deste serviço exigindo da tutela medidas para regularizar a situação.

No Hospital de Faro, as ressonância magnéticas estão a ser asseguradas por uma empresa prestadora destes serviços. No entanto, têm-se registado, desde o ano de 2011, diversas irregularidades que têm vindo a agudizar-se nos últimos tempos, tais como o não pagamento de serviços como pela não disponibilização de profissionais ou equipamento de anestesia.

A administração do hospital pretende que o serviço de ressonância magnética continue a ser efetuado pela empresa, mas sem um contrato formalizado. Perante esta situação, a empresa prestadora do serviço não garante o seu normal e regular funcionamento. O Bloco de Esquerda continua a considerar que esta situação provocará um inaceitável constrangimento no acesso aos cuidados de saúde por parte dos utentes do Hospital de Faro, podendo mesmo vir a ser interrompido.