Share |

Bloco apresenta resolução pela suspensão imediata das demolições na Ria Formosa

Bloco de Esquerda exige a suspensão imedidata das demolições na Ria Formosa e o realojamento imediato de todos as famílias cuja habitação já tenha sido demolida.

Os deputados do Bloco de Esquerda apresentaram à Assembleia da República, na passada sexta-feira, o projeto de recomendação para a "Suspensão Imediata das Demolições na Ria Formosa".

Para os parlamentares do Bloco, a pretendida renaturalização é um processo compatível com a legítima expetativa dos habitantes de não serem expulsos de um território onde viveram sucessivas gerações, sendo um processo que deve servir os interesses da população e não pode ser feito de costas e contra estas mesmas populações.

O Bloco acrescenta, denunciando o programa de demolições em curso no âmbito do Polis Litoral Ria Formosa, como tendo sido um processo feito com pouco diálogo com as comunidades residentes na Ria Formosa, facto que já levou a que tenham sido "escorraçadas das suas casas, famílias de fracos recursos que não foram realojadas".

O Grupo Parlamentar do Bloco dá, assim, voz é denuncia feita pelo Secretariado da Coordenadora Distrital do Algarve em que exigia, à Sociedade Polis, às Câmaras Municipais de Olhão e Faro e ao Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, o realojamento das famílias que na sequência da demolição da sua habitação foram divididas em casas de familiares e, noutro caso, ficaram a dormir ao relento.

O projeto de resolução apresentado propõe ainda a requalificação da Ria como forma de preservar o seu valor natural, a qualidade da água e a atividade marisqueira e viveirista, sendo estas um dos principais motores da dinamização da economia local e regional. A Ria Formosa é fundamental para a economia da região, seja através dos seus recursos naturais, seja pela dinâmica do turismo, sendo, assim, essencial a sua preversação, quer sob o ponto de vista ambiental, quer para o rendimento das populações.