Share |

Lagos, cultura participada

 

No próximo dia 11 de Dezembro, o Bloco de Esquerda dinamizará uma sessão pública dedicada à cultura. Uma jornada de trabalho que propõe discutir as distâncias e confluências entre o enorme potencial histórico-cultural da cidade de Lagos e as actuais práticas culturais.

Será posta em agenda a questão da apropriação do espaço urbano por parte dos detentores do poder, com a criação de algumas bolsas de vivência exclusivas dos mais poderosos, bem como o reverso dessa realidade, com espaços de vivência ligados ao mundo do trabalho e criatividade cultural, alternativos às realidades económica socialmente dominantes ao longo de sete séculos de história.

O papel do poder político, a questão da formação dos públicos, a programação e dinamização de espaços culturais e a criação artística contemporânea serão abordados, num programa que integra, durante a manhã, e a partir das 10h, visitas ao Museu Municipal, ao Armazém do Espingardeiro, ao Baluarte Porta da Vila e à Igreja de Nossa Sra. do Carmo. À tarde, uma sessão na Biblioteca Municipal. Com início marcado para as 15h, a sessão contará com as intervenções de Jorge Rocha, artista visual, Rui Parreira, arqueólogo e gestor cultural, Catarina Martins, deputada do Bloco responsável pela área da cultura e Cecília Honório, deputada do Bloco pelo Algarve. Por uma cultura mais viva, criativa, desafiadora e participada. 

No âmbito das sessões abertas à comunidade, o núcleo do Bloco de Lagos tem proposto a debate variados temas, integrados no conjunto de acções, moções e intervenções desta força política na Assembleia Municipal. As jornadas pela biodiversidade, realizada em Maio de 2009, são o exemplo desse pragmatismo.