Share |

Natal mais díficil para a saúde Algarvia

Por iniciativa da Direcção Regional do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, realizou-se na manhã do passado dia 18, um protesto dos enfermeiros que nos diferentes Centros de Saúde da região e no INEM têm os contratos de trabalho a terminar no fim deste mês sem que, até agora, a ARS do Algarve apresente qualquer saída de continuidade.

São 22 enfermeiros nos Centros de Saúde e 10 nos serviços do INEM. A sua não renovação implicará a paragem de várias unidades nos Centros e de ambulâncias do INEM. O sindicato considera esta situação inaceitável e incompreensível uma vez que já dura há mais de dois anos em que os trabalhadores são subcontratados a empresas de trabalho temporário quando a sua actividade é uma necessidade permanente nos serviços e funções que desempenham.

Embora sem menos custos para o ministério e com piores condições para os cuidados de saúde, tal situação é devida apenas à política governamental de reduzir os serviços públicos e precarizar cada vez mais o trabalho.

Como forma de luta e denúncia pública, os enfermeiros atingidos, aproveitando a quadra natalícia, distribuíram postais aos transeuntes na Baixa de Faro, que podem ser enviados à ministra, com passagem pelo Pai Natal. Ironizando com a má vontade dos responsáveis, os trabalhadores apelaram numa carta gigante endereçada ao mítico personagem que lhes dê a prenda da efectivação dos seus contratos.

Reagindo já depois desta iniciativa, a direcção do INEM procurou desmentir o sindicato numa tomada de posição como se os 10 enfermeiros subcontratados não existissem. Por seu lado a ARS manifesta agora preocupação em resolver o problema na parte que lhe diz respeito.