Share |

Sessão extraordinária da Assembleia Municipal envolta em polémica

A próxima sessão da Assembleia Municipal de Silves poderá ter desenlace menos favorável ao atual executivo municipal, liderado pela CDU, na medida em que será analisado e debatido sem a presença da Presidente da Câmara Municipal o relatório da auditoria externa à situação orçamental e financeira do município de Silves, referente ao mandato de 2009 a 2013.

Com efeito, foi agendada para esta sexta-feira, dia 23 de outubro, uma sessão extraordinária da Assembleia Municipal de Silves, sem uma consulta prévia sobre a disponibilidade do executivo municipal permanente, nomeadamente do Presidente da Câmara Municipal de Silves, Rosa Palma, que entretanto deu a conhecer que dificilmente não poderá estar presente devido a compromissos anteriormente assumidos.

Carlos Cabrita, deputado do Bloco na Assembleia Municipal de Silves, mostra-se indignado pela ausência de compromisso e respeito pelos membros da AM, por parte do executivo da câmara e da assembleia municipal de Silves, na medida em estão a levantar-se sucessivas dificuldades na efetivação de uma discussão sobre o referido relatório da auditoria externa.

O deputado municipal do bloco salienta a importância da análise e da discussão do referido documento no órgão deliberativo do concelho, sobretudo depois de ter sido tornado público em finais de setembro deste ano e onde são reveladas "várias irregularidades durante os mandatos em que foram presidentes Isabel Soares e Rogério Pinto".

"Se o executivo acredita que o município de Silves foi lesado nas anteriores gestões, como deu a conhecer em plena campanha eleitoral, deve trazer a públicos todos os fatos, dando a conhecer à população do concelho de Silves onde e como foi aplicadas as verbas públicas", afirma Carlos Cabrita.